sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Continhos de fada são coisa de mulher

Mas não é?? E, talvez, este seja um problema. Não tenho lá tanta experiência de vida, mas adoraria dividir a pouca que tenho com as leitoras deste espaço.

Ultimamente, tenho percebido que a criatividade feminina, se não levar umas porradas de vez em quando, tende a levar a gente pra sonhos inalcançáveis e expectativas inatingíveis. Eu, particularmente, sempre fui criticada por ter “mau gosto”. Meus namorados, em geral, são caras de personalidade adorável, amáveis, que me satisfazem emocionalmente. Podem não ser supermodels, atores da Globo ou podres de ricos. São, simplesmente, “pães com manteiga”, sabe?

Pão com manteiga é aquele cara simples, do tipo que você vê na rua aos montes, e que não chama a sua atenção até trocar uns 15 minutos de conversa com você. Não chegam a ser um sanduba de salmão com mostarda dijon, entende? São um simples pãozinho na manteiga.

Há um tempo, terminei um namoro longo e decidi sair da cena de relacionamentos estáveis por um instante. Resolvi sair com caras do tipo que nunca achei que fossem me dar bola. Vocês devem saber que não há nada que uma boa dose de confiança (e o salto perfeito) não possa resolver. Pois bem, tive minhas experiências com supermodels, atores da Globo (tá, um só) e rapazes endinheirados. E querem saber? Eles pensam na mesma coisa, em suma: NELES. Estão preocupados com a carreira, com a privacidade, com a renda, tudo deles. Não pensam tanto em você e, pior, se entregam muito dificilmente, o que me leva de volta aos pães com manteiga.

Nós, mulheres, somos condicionadas a buscar sempre o melhor. Quer a prova? Se você entra numa loja maravilhosa de roupas e se apaixona por “aquele” vestido ma-ra, que custa metade do seu salário, o que você faz? Em geral, são 3 opções:

  1. a) Compro o vestido mesmo assim, minhas contas que se danem!
  2. b) Não compro nada. Economizo até ter o dinheiro inteirinho e, então, compro o vestido!
  3. c) Compro aquele outro pretinho básico ali, que é mais barato e também vai me fazer feliz.

Se você escolheu a última opção, PARABÉNS. Você sabe economizar e toma as decisões corretas. Pena que o resto de nós não consegue. E é exatamente disso que estou falando. O vestido caríssimo que não cabe no seu orçamento é justamente o cara que sai nas capas de revista ou o garoto mais popular da sua turma na faculdade: você pode até conseguí-lo – e, com certeza, vai ficar extasiada quando conseguí-lo -, mas a verdade é que, um tempo depois, a seda do vestido vai desfiar, a cor vai desbotar e você vai desencantar de uma forma que vai doer seu coração – e seu cartão de crédito. Enquanto isso, o pretinho básico que você sempre quis – e não sabia – está ali na arara esperando que você o leve pra cabine.

Não estou falando dos underdogs. Estou falando de caras que também têm pegada, também já namoraram bastante, mas, ao contrário dos outros caras, aprenderam uma habilidade a mais: sabem VALORIZAR sua companhia.

Além de não fazerem joguinhos (até onde sei, você pode ligar para eles todo dia – nossa! – e eles, ainda assim, não perdem o respeito por você), são mais carinhosos, cavalheiros e são uns perfeitos “caras de marido”. E, dificilmente, quebram seu coração àquele ponto em que a escolha de Sofia é entre chocolate ou uma pilha de livros de autoajuda.

É por isso que eu digo: acordar de manhã com um pão com manteiga e um cafezinho na sua cama pode ser uma excelente forma de começar o dia. A não ser que você seja uma Gisele (Bündchen ou Itiê) – nesse caso, o sandubinha de salmão vem facinho.

3 comentários. Comente também!:

Luciana Lucena disse...

Muito bom amiga, pena que a maioria das mulheres não pensa assim...!!!

brutos disse...

ameyy o blog querida, eu também quero ser colunista (tô pensando né) pois tenho 16 anos ainda mais me interresso muito nesse assunto, queria saber se foi dificil começar a agir para ser colunista,para começar a ser ? tem alguma dica pra mim ? beijão adorei o pão com manteiga :)

ViictóriaRoocha disse...

gosteei muito,